quarta-feira, 5 de novembro de 2008

A ADOLESCÊNCIA


Olá amigos

Na escola, corre tudo muito bem, graças a Deus, os testes têm corrido mais ao menos.
Os professores, estão a fazer testes normais para ver até que ponto, ele precisa de testes adaptados.
Porque agora no final de Novembro, fazem as reuniões intercalares e aí vão ver a situação do Nuno.O que é preciso fazer.

Em casa, a situação é que está mais complicada, eu não posso falar para ele que ele atira-se a mim parece que me tem ódio, umas vezes comigo outras com o pai, mas como sou eu que o enfrento mais, então é mais comigo, á alturas que só me apetece desaparecer ele magoa mesmo, está a ser muito difícil....

Desculpem o desabafo, mas os amigos precisão saber o porquê da minha ausência.

Mas, vamos vivendo um dia de cada vez, com a ajuda dos amigos e de DEUS.

Vou passando e escrevendo

beijinhos do tamanho do Mundo

17 comentários:

Mari L. disse...

Querida amiga, como te prometi, passei para visitar você. Já nos falamos pelo e-mail, mas lendo o seu texto, fiquei muito sensibilizada. Entendo bem o que se passa e como nos sentimos às vezes frustradas. Mas é bom entender que a fase da adolescência é um pouco mais pesada, pois juntam a personalidade do jovem e as mudanças hormonais. Peço a Deus que te dê paciência e persistência, também a mim, com minha pequena luta. Como disse, João está sem medicamentos - fazendo acupuntura. Esperamos que seja um caminho....Beijos da amiga
Mária

Zabour disse...

Tem calma, já te esqueceste qd passaste por essa fase? Aquela em que os pais nunca têm razão e são os nossos piores inimigos? Tudo passa, tens k ter paciência...Força, querida!

Beijo grande

Carecaloira disse...

Amiga,

só descarregamos nas pessoas de quem mais gostamos, ou já te esqueceste??
Além disso és quem mais lhe dá atenção e está com ele, por isso é normal, ele também tem que descarregar em alguém.
Além disso, ele está na idade da parvoíce, na idade que sabe tudo, "do quero, posso e mando", dá-lhe um desconto e faz por não ouvir.

Já sei que é fácil falar para quem está de fora mas eu estou aqui sempre que precisares.

Beijoca grande
Marina

Anónimo disse...

Querida tia Paula
li e reli com toda a atenção...

O Nuno tem o seu feitio especial, também consequente do síndrome que tem. E do que sei (não que tenha grande experiência profissional nesse ramo, mas vou lidando com crianças com esse síndrome e com uma em especial) essas reacções não fazem parte específica das atitudes delas - das crianças afectadas por esse Síndrome.
Essas reacções fazem parte da qualquer criança: o revoltarem-se por isto e por aquilo. Com a a agravante que o Nuno está na fase da pré-adolescência, fase em que esse "sintoma" crítico ataca todas as crianças a caminho da adolescência.
não partilho da ideia da prima mailinda, a de que descarregamos nas pessoas de quem mais gostamos. aliás, não tivesse eu deixado o blog e tinha já em tempos idealizado uma "crónica" sobre isso. Porque não concordo de todo. Mas isto só porque eu não descarrego jamais nas pessoas de quem eu mais gosto. E quando alguém descarrega em mim seja o que for, será porque não gosta de mim. Mas esta é a minha teoria e vale p que vale, eventualmente vale NADA, como tantas outras que tenho e que serão apenas compreensíveis por mim.
Eu vivo mais a ideia de que nós, seres humanos em geral, descarregamos mais em quem nos permite que o façamos. Será mais uma questão de permissão do que de Amor.
A tia Paula é Mãe. E todas as Mães são mais permissivas. Como tal, os filhos descarregarão nelas aquilo que jamais descarregariam em mais alguém: justamente pelo excesso de permissividade e não pelo facto de gostarem mais de nós, Mães!

Mas isto sou eu.

Portanto, aja com avidez e com rigor. Aquele rigor que sabe ter enquanto Mãe grandiosa e especial que é.
A figura da Mãe suscita mais permissão que outra imagem qualquer... Portanto, ajude o nosso Nuno a perceber isso, da forma que a tia Paula achar melhor. Ele vai entender. Tal como entendeu que na escola tem de agir desta forma ou daquela, em casa passará a fazê-lo.

Não estou a ser fria, se é que lhe estou a parecer isso. Estou a dizer, francamente, aquilo que acho. Enquanto professora e enquanto Mãe. Se bem que, neste meu último papel, também tenho a língua para morder, algumas vezes.

Não me estico mais. Sei que me percebeu. E isso é o que mais me importa. Por isso lhe escrevi, retirando-me da minha pausa virtual.

Beijinho doce em si, no Nuno e no Jorge.

(estou fora, mas sempre, sempre à sua disposição, como sempre. Via mail, de preferência, para questões relacionadas com a escolaridade do Nuno.)

Xi coração!

Egg*

Mina disse...

Paula
Faz parte do crescimento de qualquer adolescente, estas fases de afirmação de se julgarem donos da verdade, e não é apànagio dos meninos com SA,se me permite e não me leve a mal, mas por muito dolorosso que seja e eu sei que é tbm tenho uma filha nessa fase, e é muito dificil...Já o meu SA nunca teve essas crises de "mau feitio".Portanto e por muito dificil que seja de ultrapassar é um processo normal dos adolescentes, desde que não parta para violência fisica, vamos ter de ter paciência e desejar que passe rápido.(tbm já falamos do assunto nas furtadas)
Bjocas

LuisaB disse...

Olá Paula, querida miga 
Fico triste por saber que a ausência era por uma coisa menos boa na vida. São fases, momentos…

“Em casa, a situação é que está mais complicada, eu não posso falar para ele que ele atira-se a mim parece que me tem ódio, umas vezes comigo outras com o pai, mas como sou eu que o enfrento mais, então é mais comigo, á alturas que só me apetece desaparecer ele magoa mesmo, está a ser muito difícil....”

Não sei o que faz o Nuno estar assim revoltado ou com raiva dentro dele para descarregar “verbalmente”? Não percebi se física ou …?
Amiga Paula, tem de se distinguir duas coisas.
Os n/ filhos são da mesma idade certo?
O meu filho não faz isso agora, já teve ataques de pânico de stress na escola que lhe geravam essas crises em que ele se tentava magoar a ele próprio batendo com a cabeça e corpo em tudo que lhe pudesse fazer mal durante esse ataque /crise. Se eu o protegesse ele não me reconhecia e magoava-me. Depois ficava com amnésia desde que tinha iniciado o ataque /crise até ela terminar e recomeçava a falar de coisas que estava a falar ou a fazer antes do início mesmo do ataque. Percebeu? Fica algo confuso de se explicar mas espero que entenda.
Aliás de leu o livro o estranho caso do cão morto o miúdo passou por episodio assim com o pai e ele só viu que acontecera algo porque o pai estava com a camisa rasgada e havia sinais de luta. Ele havia ficado com amnésica não recordava nada.(Com o meu passa-se assim, ou seja passava-se. Agora que não anda na escola e sem ser torturado como ali era por todos, então anda muito mais calmo e tranquilo.)

Se for o caso do Nuno, tá tudo ok porque é normal isto acontecer a muitos aspies, se não for o caso, pois tem de ver o porque dessa agressividade, pode ser factor somente da adolescência sem estar o SA pelo meio.
Vemos muitos jovens agressivos sem serem SA e não poderá nesse caso a Síndrome ser factor de permissão dele poder fazer tudo sem levar reprimenda e castigo.
Os adolescentes estão habituados a Mãe tudo aceitar e abusam por vezes.
Falo do meu filho que á parte estas crises de pânico que tinha nunca me levantou a voz, nunca foi mal-educado comigo ou com qualquer outra pessoa, não terei ponta por onde possa pegar para o censurar, felizmente.
A minha filha não sendo aspie e tendo passada essa fase de adolescência pois levou uns valentes tabefes posso dizer e uns bons berros que a pôs de imediato no seu lugar, Podem dizer que isto não se faz?! Olhem, resultou lindamente, aquela arrogânciazinha que começava a ganhar, desapareceu em 3 tempos. Pedi um atestado à médica de família disse-lhe o que se passava e ela assentiu que precisava desse documento para ela ficar 5 dias em casa comigo. Levou uma lavagem cerebral nesses dias que lhe serviram para toda a vida. Custou-me muito dizer-lhe coisas como disse mas que lhe abririam os olhos para mais tarde. Agora tem quase 23 anos e é uma linda menina muito aplicada de quem me orgulho imenso de ser Mãe e ela diz sempre abençoados dias de repreensão e força minha.
Graças a isso hoje está a caminho do Mestrado e de uma carreira que sempre adorou.
Não permita Paula abusos sejam de filhos ou de qualquer pessoa. Tente compreender o que se passa com o Nuno leve-o aos técnicos de saúde que possam explicar e definir onde começa e termina a SA e onde começam outras coisas que podem não ser SA mas outros factores. Quem sabe uma” paixoneta” não correspondida e depois descarregue a frustração?
Tem de ver isso com cuidado antes eu se agrave.
Peço desculpa de não ser um comentário muito construtivo mas leve-o como sendo experiência de mãe de uma para a outra com seres diferentes mas idades iguais.
Espero que tudo isso não passe mesmo de uma pequena fase, de um lapso de tempo e que nos traga mudança muito em breve.
Rezarei para que tal aconteça.
Porque não tira um bocadinho e se junta ao Msn com outras amigas nossas? Sempre podia desabafar melhor e trocarmos mais em tempo real opiniões?
MSN: clubeautista@hotmail.com para si Paula e para quem precisar.
Beijinhos e muita força!

Brancamar disse...

OLá Paula,

Espero que estejas melhor.
Começo por agradecer a amizade e o prémio, embora não tivesse escrito, tenho passado algumas vezes, mas o cansaço também me tem vencido.
Quanto a este post não posso estar mais de acordo com o "egg", acho mesmo que é mais uma questão de adolescência, se calhar mais potenciada pelo facto de achar que lhe permitem tudo pelo problema que tem, digo eu. Sabes que os miúdos são muito espertos quando querem levar a água ao moinho deles, por isso acho que o "ovo" tem razão, mantém-te nas tuas tamancas, mas se calhar não era pior procurares ajuda dos técnicos para veres com eles a melhor maneira de agir. A educação dos filhos vai crescendo em dificuldade com o crescimento deles, porque se é certo que temos que nos impor a essas tentativas de autoridade por parte deles, também é certo que se não criamos um intervalo para sentirem que são amados e para lhes darmos carinho a coisa complica-se. Tenta sentar-te com ele e perguntar-lhe porque anda a agir assim e fazer-lhe entender que o amas e que não lhe mereces essas atitudes, isto digo eu que sou absolutamente ignorante no que se relaciona com o comportamento de um asperger, mas tens que te descontrair também, de outra forma é uma tensão crescente para ti.
Estou sempre ao teu dispôr, se puder ajudar em alguma coisa.
Beijinho grande.
Branca

Mrs. Sea disse...

Querida Paula...
Tu és mesmo aquela "estrela" que brilha! Eu imagino o que possas estar a sentir! :( Há uma fase da nossa vida que os nossos pais nunca valem nada, mas se mantiveres a tua postura de boa mãe, tu vais ver que vai chegar o dia que ele vai olhar para ti e vai sentir orgulho nos pais que tem e vai sentir que agiu mal e vai arrepender-se, compensando-vos dia após dia!
Tens é de ter paciência... E isso ainda agora começou... Ainda vai levar alguns anos a passar! :(

Bjins

elvira carvalho disse...

Amiga, a adolescência é um periodo muito difícil, para qualquer jovem. Eles não sabem bem o que lhes esta a acontecer, o corpo muda, o futuro assusta-os. Acontece com todos os jovens. E acontece muitas vezes com eles descarregarem na pessoa que mais amam, e que geralmente é a mãe. O Pedro teve uma fase que me rejeitou. Dizia que eu não era mãe dele. O psiquiatra, disse-me que era uma fase e depois passava. Ele passou para mim a raiva, por a mãe biológica o ter abandonado. No entanto ele nunca rejeitou o pai e sabia que ele não era o pai biológico. Mas o Dr. Jara, que o tratava disse-me que era normal, que eles descarregavam na pessoa que mais amavam, os seus medos, as suas revoltas. E realmente foi uma fase que passou, à volta dos 16 anos.
Um abraço e um bom fim de semana

Linda disse...

Amiga, não te vou dizer nada que não tenha sido dito aqui... é próprio da idade e tu talvez devido ao problema do Nuno estejas mais sensível, mas passa.
Vá lá levanta o astral! Para a semana vamos almoçar ok?
Beijinhos
Linda

Beta disse...

Paulita estive a ler o teu blog, fico feliz por estar tudo bem na escola do Nuno,quanto ao comportamento em casa tens que ter paciência.O que não fazemos por os nossos filhos,desejo que tenhas uma semana recheada de coisas maravilhosas.
Muitos beijos

Cristina disse...

Amiga,
Não posso dizer nada que não tenha já sido dito aqui, pelas suas amigas.
Mas digo-lhe que pode contar com a minha força: torço por si, Paula! Nunca perca essa força que possui (embora por vezes sinta que parece faltar-lhe, não falta! acredite: só adormece para voltar ainda mais forte).
Gosto muito de si!
Beijinho
CA

O Profeta disse...

Passei para te deixar um terno beijo...

Linda Simões disse...

Olá Paula Simões!

Sou linda Simões,do Brasil.
Desabafos são sempre importantes.Nunca deixe de falar ou escrever o que te incomoda...

Beijo

Linda Simões disse...

Beijos pra vc também!!

Que seu mundo seja iluminado!

Boa semana!!

Ovinho Estrelado disse...

Minha linda, desejo que tudo esteja a correr com mais suavidade por aí.

beijo grande

*

Linda Simões disse...

Olá Paula!!!

Obrigada por passar no meu cantinho.

Tenho filhos adolescentes tbém.É todo um processo de aprendizagem para nós...É como uma catarse...

Beijos cheios de carinho.