quinta-feira, 13 de novembro de 2008

ESTOU A IR AO FUNDO


Olá amigos:

Hoje, foi um dia dificil, estive muito mal ...
Estava eu no local do trabalho, triste, sim tenho andado triste, e os colegas não conseguem me ver triste, e então começaram a insistir para eu dizer o que me atormentava, então as lágrimas teimaram em descer e cairam...
Mas o meu trabalho é na frente loja, e a chorar e atender clientes não dá, então o chefe disse para ir um bocadinho para os balneareos, até me recompor, eu ía a caminho não via ninguém, mas uma grande amiga viu-me e foi atrás, quando ela perguntou o que se passava eu desatei a chorar, ela ouviu-me e eu ouvi a ela e se agora, ao final do dia eu estou um bocadinho melhor é graças a essa amiga, maior parte das pessoas já se aperceberam de quem eu estou a falar, sim é dessa grande amiga Marina a nossa careca loira.
Obrigada amiga por estares ao meu lado quando precisei, eu te agradeço do fundo do meu coração.

Muitos estão a perguntar, porque é que eu ando assim!!!

Pois é, o Nuno todos os dias entra em conflito comigo, e eu com ele, depois agride-me vervalmente diz "que me odeia , porque é não tem outra mãe, que sou má" enfim eu sei que ele tem um problema, mas acho que o problema não justifica estas atitudes todas, e passa um dia, passa dois e vai passando e o cansaço começa, eu ultimamente só penso em desaparecer, em morrer, eu sei que não é solução mas é como me sinto.
Eu não quero desistir dele porque ele é meu filho e eu amo muito. Mas será que eu vou conseguir?

Ontem houve uma reunião no pediatrico, eu não fui, foi o pai Jorge eu fiquei com o Nuno.
O pai Jorge, que também não anda bem, porque agora tem sido tudo para cima dele, porque como eu digo anteriormente cansei...ele pediu ajuda, então na pediatria vão ver se arranjam terapia familiar, para nos ajudarem, porque como eu digo está a ser muito dificil...

Amigos peço-vos desculpa pelo meu desabafo, hoje foi assim, espero que a próxima seja melhor.

Vou passando e escrevendo

Beijinhos do tamanho do Mundo

31 comentários:

Ovinho Estrelado disse...

Minha querida...

O que dizer?
O que fazer?
O que escrever?

Bem...

Farei aquilo que faria se estivesse aí, pessoalmente:

- não daria qualquer conselho porque quando estamos nesse estado um abraço mais apertado, ajuda a desabafar mais.

Querida, chore imenso. eu sou daquelas que acha que se temos vontade de chorar, o devemos fazer. Mas não havemos de chorar porquê?
"Não cohres" é expressão que me irrita solenemente.
Era o que faltava.
Chore, queixe-se, lamente-se.
A sua vida não é fácil. As coisas estão muito mal para "os seus lados"...

Chore-se...

Levo-a no coração e rezarei pelo Nuno, para que Deus lhe dê um raio de Sol capaz de o amenizar nesta fase de abuso pré-adolescente, tão em voga.

Beijo imenso. Grande mesmo...

[*]

Linda Simões disse...

Olá Paula.Obrigada pela visita ao meu cantinho.Uma amiga me enviou esta mensagem e estou te enviando também...

"Procura, a cada momento, ver o que deve ser visto. Procura, a cada momento, sentir o que deve ser sentido. Procura ver além do erro, além da dor... Além do sonho...

Assim, estarás trilhando pelo caminho que a ti realmente pertence.
Um caminho onde tua essência está presente e por assim ser, onde tua realidade repousa absoluta. Para viver na realidade é necessário a compreensão de que, cada acontecimento tem por objetivo mostrar-te o que precisas conhecer, o que precisas aprender.
Retira os nós, e te permitas ser livre, pois a tua realidade está além dos nós que teces a cada passo...
Estes são meramente ilusões que tentam te impedir de alcançar o caminho real. Esquece dos sonhos e dá lugar a luz, ao que existe.
E o que existe és tu, um ser amoroso, sem danos, sem dor. Vivendo na alegria de poder contemplar uma vida digna e cheia de amor. "

Espero que fiques bem!

Um beijo cheio de carinho...

Fatima disse...

Não é fácil por vezes aguentar com as agruras da vida, mas temos que pensar sempre que o dia de amanhã será melhor.
Fora e coragem. Todos nós temos momentos de desalento, mas superamos!
Bom fim de semana

Cristina disse...

Querida,
Não sei muito bem o que dizer que te possa vir a ajudar com o Nuno...
Posso apenas expor-te uma situação: a minha filha é acompanha por um pedopsiquiatra que considero um ser humano maravilhoso. Ele é daí de Coimbra. Caso queiras falar sobre esse assunto, envia-me um mail, trocamos contactos e falamos.
Quanto a ti, querida, só tenho a minha compreensão e carinho para te oferecer... (caso queiras, podes, também, usar o meu mail para que possamos vir a conversar). Permite-me:nunca penses no "fim"; a partir do momento em que isso acontece pode passar a ser um pensamento que te persegue e o primeiro que te virá à mente sempre que as coisas estão menos bem: não o faças por favor! Sei que, com o sofrimento que nos contas, é dificil olhar em frente... Mas olha, olha em frente, tenta pensar que na nossa vida tudo o que passamos são fases, momentos (quer sejam bons, quer sejam maus).
Acredito em ti! Acredito na tua força! Acredito na tua coragem!
Estou e estarei por perto se e quando quiseres.
Tens uma grande amiga perto de ti: a Marina. Acredito que seja alguém sempre pronta a ajudar-te (tal como referes).
Se quiseres contactar-me não hesites por favor.
Força!!
Beijinho grande
CA

Mrs. Sea disse...

Querida... as mães são a base da vida de um filho! Eu digo isto porque agora sei a falta que a minha mãe me faz... a casa está vazia... sou só eu e o meu pai... a mami e o Bro estão noutro lado (tu sabes) e nós estamos só os dois!
Só a minha mãe consegue por aquela casa sobre rodas... eu não consigo! Neste momento acredito que o Nuno pode até dizer que te odeia, em certos momentos também pensei nessas coisas (atitudes estúpidas agora reconheço)... Mas acredita que isso passa... isso vai mudar, vai levar algum tempo, mas vai mudar! Acredita acima de tudo!
Tem fé amiga e força! Se precisares de um tempinho diferente, sempre podes visitar o Bro! :)

PDD-NOS (Menina) disse...

Compreendo-a é muito duro, fazemos tudo por eles e por vezes eles tem atitudes que nos magoam imenso.
A minha filha também me fez essa cena linda, ela actualmente é acompanhada por uma psicologa clinica do Centro Diferenças. É caro, mas está a resultar.
Muita força.

Graça Lopes disse...

Paula
Não tem que pedir desculpa a ningúem!
Chorar não é vergonha, nem para os homens! Todo o guerreiro tem o seu momento de fraqueza. Não desespere pelas palavras não sentidas do Nuno. Eu sei que custa muito mas de certeza que a Paula sabe que o seu filho a ama acima de tudo e de todos. Os adolecentes têm destas saídas, magoam por vezes sem pensarem. Nestes momentos lembre-se das coisas boas que tem. Dos amigos virtuais e principalmentes daqueles que lhe oferecem o ombro como a Marina.
Fico à espera que apareça mais feliz para nos dar boas notícias.
Até lá um grande beijinho

Linda disse...

Paula!!!
Diz lá, não foi bom o dia de hoje? Aquele almoço valeu mesmo... é isso que te falta para tentares pelo menos esquecer por uns momentos tudo o que tens passado.
Já sabes, eu estou aqui para te ouvir sempre que quiseres e quando estiveres mal é só ligares.
Se não for antes vamos estar juntas outra vez na sexta(que moleza a tarde de hoje,ahahahah)
Beijinhos
Jokitas para o Nuno
Linda

Zabour disse...

Então, querida amiga, o que é isso?
Tens k tentar ser forte por mais que isso te custe.
Chegaste até aqui com uma força extraordinária, és um exemplo para todas as mães que têm k enfrentar todos os dias problemas semelhantes ao teu. Tens todo o direito de te sentires triste,angustiada, com vontade de desistir...és humana, de carne e osso.
Eu por coisas bem mais simples já quis fugir, desaparecer de perto de tudo e todos. Tenta dar-te um tempo, sem pressões...já sabes que o Nuno não sente as coisas como tu, para ele as palavras não têm o peso k tu lhes dás...Vá lá, inspira, expira, vai respirar lá fora, passar um tempo com as amigas e depois qd te sentires mais aliviada voltas ao campo de batalha e mostras a guerreira valente que és.
E se te ajuda, fica a saber que estou aki a torcer por ti!

Beijo grande e um abracinho muito apertadinho

Albertina disse...

Querida Paulinha
No teu desabafo, que li atentamente, não encontrei nada de anormal.. Uma mãe cansada, um adolescente um pouquinho mais complicado do que os outros, o Outono que provoca sempre alguma depressão...
Só o título me incomoda! ESTOU A IR AO FUNDO????
Tu? Não podes, Paula!
Tu não!
Põe essa cabeça fora do buraco, nariz para cima e anda para a frente!
Tens uma guerra para ganhar. E uma guerra é feita de muitas batalhas!
Coragem, mulher, chora com as tuas amigas, mas ri-te também das coisas boas...
Beijinhos e bom fim de semana
(conselho grátis: compra valeriana na ervanária e faz chá para beber à noite - dá-te uma boa noite de sono e mais calma durante o dia)

paula disse...

A albertina tem razão~não podes ir ao fundo. Acho k a terapia familiar é capaz de ajudar
força
beijinhos de luz
não desistas...

Mina disse...

Já tudo se disse, pouco pode ser feito, e até pode achar uma discurso tresloucado, mas esse conflito de gerações á procura da identidade está dentro dos paramêtros normais...
Até fico admirada de um Asper o revelar, daí eu até achar que é um bom sinal...
Agora só para desanuviar, minha amiga não se deixe afundar, temos de aprender a remar, e olhe que eu tbm estou no mesmo mar, e não é com o Asper...
Força, não vale desanimar!...
Bjocas

Carecaloira disse...

Amiga,

a amizade não se agradece. Estou cá é para isso mesmo, não sou das que foge assim que vê o barco começar a afundar...
E vês que até já está tudo mais calmo??!!
Um bom almoço na sexta, um belo dum passeio hoje, e o sorriso já voltou. Um bocado de espaço e os teus homens já sentem a tua falta. Temos de repetir mais vezes.

Bom Domingo
Beijo bem grande
Marina


PS. Já sabes que contas comigo para tudo, o resto já comentei ao vivo!

elvira carvalho disse...

Amiga, já lhe disse um dia, que a grande maioria dos adolescentes, dáo grandes problemas aos pais. Mesmo quando não teem qualquer problema. Acredito que seja mais difícil com o Nuno. Se um jovem sem o problema dele, chega a esta fase e começa a sentir que vai entrar num mundo diferente, num mundo que ele sabe é muito difícil, onde há muita competição, e onde ele não sabe se vai conseguir impôr-se, e começa a ter medos fobias, e começa a rebelar-se contra tudo e contra todos, um jovem como o Nuno que é inteligente, e que sendo inteligente, sabe que tem coisas que não consegue controlar, sente todos os problemas da adolescença mais agravados.
Será que o médico pediatrico é o indicado para o ajudar? Porque ele precisa (e vocês também) de alguem que descubra qualquer coisa em que ele seja bom (e eu acho que ele é um excelente desenhista) que o incentive e ajude a desenvolver isso de modo a que ele extravase os seus medos e raivas para o papel em vez de o fazer consigo.
Vou-lhe contar uma coisa. O meu filho foi adoptado. Quando ele atingiu seis anos o psicólogo disse que tinhamos que lhe contar e que essa era a melhor idade porque ele ia para a escola, os miúdos são cruéis uns com os outros, e ele podia vir a saber pelos outros miúdos, e era pior.
Contámos-lhe exactamente como o psicólogo nos ensinou, mas o Pedro não aceitou. Começou com muitos problemas, a nível fisico e psicológico. Fisicamente começou com ataques de asma. Foi muito duro para nós ele teve que andar a fazer 5 anos de vacinas que vinham de Ingaterra. A nível de comportamento era um pavor. Tinha alterações quase constantes, um momento estava feliz, outro partia tudo o que apanhava, batia nos colegas, começou a roubar. Não roubava nada de valor, nem sequer alguma gluseima. Roubava, um pedaço de sabão, num supermercado, ou uma caixa de giz na escola que depois destribuia pelos outros meninos. A primeira psicóloga, acabou por mandar para uma colega, e esta, a Dra Fátima, enviou-o para um colega, o Dr. João Paulo. Este ao fim de um ano mandou-o para um psiquiatra para Lisboa, o Dr. Jara.
Este fez-lhe montes de exames e disse-me que o Pedro sofria de uma sindrome que eu não recordo o nome, mas que ele me disse que se caracterizava por alterações de comportamento e que provavelmente foi desencado por ele não aceitar que tinha sido adoptado. Disse-me que o tratamento constava de tomar Tegretol 200 e fazer desporto, para gastar as energias. Eu pensavea que o Tegretol era para a epilepsia e perguntei ao médico se ele era epilético. Disse-me que não mas que o medicamento para o que ele tinha era o mesmo que para a epilepsia.
Devo dizer-lhe que eu era quem o Pedro escolhia sempre que estava pior para massacrar. E dizia-me que não gostava de mim que eu não era mãe dele porque eu não o tinha trazido na barriga.
O psiquiatra disse-me que eles teem tendência a atacar a pessoa que mais amam, e que ele transferira para mim a raiva que sentia, por ter sido abandonado.
Fez tratamento até aos 18 anos.
Conto-lhe isto para que sinta, que o que o Nuno faz não quer dizer que não a ame. Eu sei que custa. E como custa. Chorei lágrimas sem conta, e o pior foi quando ele abandonou o tratamento e substitui os comprimidos pelo alcool. Aí foram quase 3 anos de sofrimento intenso.
Graças a Deus hoje tudo está ultrapassado.
Um abraço forte

Ana Pereira disse...

Eu dizia exactamente o mesmo à minha mãe. Nestas idades e não tendo amigos a mãe é a única para onde nos virarmos e se ela não chega...
Não é realmente pessoal é contra a representação do mundo.
Além de eu ter sido assim o meu filho tem Asperger também. Se nós não aguentar-mos como vão eles aguentar?
Força.

Luz de Estrelas disse...

Olá Paula. Sei que não me conhece, mas sou amiga da Mina e da Noris. Aqui há tempos deu uma reportagem no Dr Phil sobre os aspergers na adolescência e um dos casos práticos era, precisamente, uma mãe farta das atitudes exageradas do filho. O Dr Phil explicou que há mesmo zonas do cérebro dos aspies que se alteram qdo algo os irrita. Eles não conseguem conter a irritação e tb sofrem com isso. O único escape é descarregarem em quem está mais próximo. Se os adolescentes sem a síndrome, tb são assim, que fará o seu rapaz. Imagino que deve ser difícil para si. Mas não leve muito, muito a peito. Deixe-o descarregar a frustração, sem ligar muito às palavras que ele diz. Em breve, mais perto da idade adulta, as coisas melhoram muito. Tenha fé. Beijinhos. Isa

O Profeta disse...

Vai dar tudo certo minha querida...vais ver...


Doce beijo

DANI disse...

Olá amiga,

Não sabes como fiquei triste por te sentir tão em baixo, mas como já aqui diseram não é altura de baixares a cabeça, esse cansaço é muito natural e não te culpes por isso. Força!

O Ovinho tem razão chorar é sem dúvida muito importante para que essa frustação atenue, lembro-me que quando passei por uma fase muito complicada da minha vida o meu escape era esse mesmo, chorar e chorar muito e sem problemas do que os outros possam pensar.

Tens que ter muita calma e paciência e verás que consegues levar o teu barco a bom porto.

Um abraço muito apertadinho.

Beijinho

Dani

Mário Relvas disse...

Paula,
por vezes sentimos mais dificuldades na vida. Talvez seja mais uma fase. Repare que há muitos e muitos pais a dizerem que têm dificuldades de relacionamento com os seus filhos. E não têm sindroma de asperger!
Tire uns dias, nem que seja ao fim-de-semana, dê uma volta e tente fazer algo que goste e seja diferente da rotina. Não se deixe abater e de mãos dadas com o pai Jorge na educação do vosso filhote encontrem a alegria necessária para continuar a vossa vida. O Nuno atravessa, tal como todos os outros jovens, fases de crescimento e interrogações. Não leve as afirmações dele a peito. Já se perguntou porque ele anda revoltado? Não será isso revolta e desabafa em cima de quem mais gosta? Fale com ele, sorria e caminhe nos seus objectivos. É nas dificuldades que temos que dar as mãos.Estou lá no cantinho e visite-me quando precisar de algum apoio. Sabe que todos nos interrogamos de vez em quando. Porque isto? Porque aquilo? Porque comigo? Bem, cada um tem uma cruzada e enfrentemo-la o mais suavemente possível. O Nuno tem uma carinha laroca e bem dispota. Tem a carinha de quem ama muito a sua mãe!

bjs

Graça Lopes disse...

Paula
Diga qualquer coisa, nem que seja como a ovinho!
O "Estou a ir ao fundo" deixa-me muito preocupada. Espero que já esteja desatualizado. tem que estar. Quem pode ir ao fundo com tantos amigos a puxarem para cima?
Um abraço

elvira carvalho disse...

Passei. Para deixar um abraço.

Linda disse...

Paula querida!!!
Espero que o fundo se tenha transformado, e que estejas a olhar para o céu com a cabeça bem erguida!

Beijinhos
Jokitas para o Nuno
Linda

Brancamar disse...

Olá Paula,

Espero que tudo esteja melhor, que um dia destes possas escerver um post a dizer: já se sente o Natal cá em casa.
Não vale a pena repetir o que todos já disseram.
A maior parte de nós já chorou muitas lágrimas com filhos crescidos, todos nós só soubemos dar valor aos nossos pais quando também o fomos e mais ainda nesta fase em que os filhos crescem e cada vez nos aproximamos mais dos nossos progenitores.
Pode-te parecer uma fase má, mas não tardará muito que o Nuno reconheça que errou porque ele no fundo ama-te.
Faz como aqui te dizem, mima-te um pouco, arranja um tempinho para fugir à rotina, não importa o que deixes para fazer, mas respira um ar diferente para ganhares fôlego para outros dias.
Um grande beijinho.
Branca

Anónimo disse...

Paula... Deixo um mimi especial... Desejo que brevemente suba dessas águas que parecem querer devorá-la...

abracinho ao Nuno.

beijo*


ovo*

Tony Madureira disse...

Olá,

Força, coragem!
São situações dificeis, mas...
Com mais calma ponderação consegues superar.

Beijinho solidário

Carla Silva e Cunha disse...

li o texto e fiquei emocionada...
não dou conselhos...não sei...
desejo o melhor

Linda disse...

Paula!!!
Bom fim de semana amiga, o nosso almoço vai ter de ser adiado, tenho reunião na sexta, depois combinamos ok?
Beijinhos
Linda

Linda disse...

Deixei um desafio lá no meu cantinho...
Bjs
Linda

elvira carvalho disse...

Passei. Na ausência de novidades deixo uma abraço e votos de uma boa semana

Anónimo disse...

Educar nos dias de hoje tornou-se muito dificil.Mesmo quando são crianças/adolescentes normais é complicado,mais dificil se torna quando existem problemas.Tenho 2 filhos e o mais novo (8 anos), teve uma altura em que mes respondia que era adoptado, até hoje nem sei porquê.
Mas o lema é arranjar forças onde elas parecem não existir, é se agarrar a objectivos de vida que nos levará para um futuro normal.
Não desista, não deixe que a situação lhe dê a vola a si, antes pelo contrário tente dar a volta à situação.Um beijinho e um grande abraço de aconchego e compreensão.

paula disse...

passei para te deixar um beijinho
Paula Padinha